23/08/2011

Festas de Corroios - Não há festa como esta... em que se gaste tanto dinheiro!

Qual crise...
Qual falta de dinheiro...
Qual Troika...

Não há festa, no concelho do Seixal, em que se gaste tanto dinheiro como a festa de Corroios.

Alguns números, alguns valores ajustados pela JF de Corroios, com link para o portal dos contratos públicos:

Adjudicante: Freguesia de Corroios

Adjudicatária: Xutos & Pontapés - Produções Musicais Lda
Objecto: Espetáculo musical a realizar com os Xutos & Pontapés, no dia 26 de Agosto de 2011, no âmbito das Festas da Vila de Corroios 2011.
Preço : 39 000,00 €(Link)

Adjudicante: Freguesia de Corroios

Adjudicatária: Regiconcerto – Produções Musicais e Audiovisuais, Lda
Objecto: Espectáculo musical a realizar com o artista Mickael Carreira, no âmbito das Festas da Vila de Corroios 2011, no dia 28 de agosto.
Preço: 24 500,00 €(Link)


Adjudicante: Freguesia de Corroios

Adjudicatária: Músicas do Mundo, Serviços Musicais, S.A.
Objecto: Espectáculo musical com o artista Rui Veloso, dia 27 de agosto, no âmbito das Festas da Vila de Corroios 2011
Preço: 25 000,00 €(Link)


Adjudicante: Freguesia de Corroios
Adjudicatária: Leonel & Aguiar, Ldª

Objecto: Aluguer de estrados para os stands automóveis das Festas de Corroios 2011
Preço : 14.000,00 €(Link)


Adjudicante: Freguesia de Corroios

Adjudicatária: Base Prática, Lda.
Objecto: Montagem de stands para os feirantes nas Festas da Vila de Corroios 2011
Preço: 6 800,00 €(Link)


Adjudicante: Freguesia de Corroios
Adjudicatária : Pleno Acesso, Unipessoal Lda.
Objecto : Vigilância do recinto das Festas da Vila de Corroios 2011
Preço : 25 220,00 €(Link)

Adjudicante: Freguesia de Corroios

Adjudicatária: FABRITENDAS – FABRICO, ALUGUER E VENDA DE TENDAS,LDA
Objecto: Aluguer de tendas para as Festas da Vila de Corroios 2011
Preço: 19 650,00 € (Link)

Adjudicante: Freguesia de Corroios

Adjudicatária: 8 Sons-Produções Unipessoal, Lda.
Objecto: Aluguer de som e iluminação para as Festas da Vila de Corroios 2011
Preço: 17 500,00 € (Link)


E por último a "cereja no topo do bolo", que neste caso são duas. Vejamos:

Adjudicante: Freguesia de Corroios

Adjudicatária: JORGE FERNANDES, LDA
Objecto: Edição da Revista das Festas da Vila de Corroios 2011
Preço : 13 000,00 € (Link)

Adjudicante: Freguesia de Corroios

Adjudicatária: RPP-Audiovisuais Unipessoal, Lda.
Objecto: Gravação de audiovisuais nas Festas da Vila de Corroios 2011
Preço : 8 500,00 € (Link)

Uma revista da festa por treze mil euros!?
Uma reportagem por oito mil e quinhentos euros!?
Qual o intuito?
Vamos estar atentos à utilização destas imagens!

Estas são apenas algumas das despesas.
Esperemos pelo menos que parte das receitas cubram os custos destas festas e da manutenção anual do recinto de festas.

24 comentários:

Kruzes Kanhoto disse...

E o pior é que é assim por todo o país. Está tudo maluco!

Anónimo disse...

NBum concelho onde existe tanta miséria esses gastos com músicos milionários são um insulto aos mais pobres... belo comunismo!!

Anónimo disse...

8500 euros por uma reportagem de ausio visuais que depois vai ser usada para eventualmente fazer um clip de campanha do PCP?

Nelson disse...

Ridiculo. Só dá vontade de sei lá o quê...

Anónimo disse...

Caros Senhores, peço desculpa pela intromissão, no entanto não consigo deixar de fazer alguns reparos.
Pelo que vejo, eu e talvez qualquer mortal que não tenha palas laterais, as Festas de Corroios movimentam muito mais do que dinheiro, muito mais do que dívidas e muito mais do que lucro. Movimentam, (perdoem-me o pleonasmo), dinâmica, que é coisa que nem todos conseguem.
Após breve passagem pela Feira, apurei:
Espaços de Movimentos Associativos – 26
Espaços de actividades económicas – 66
Stand’s Automóveis – 6 (10 marcas)
Espaços de Comida – 45
Ora bem, todos estes espaços proporcionam movimento de capital e por sua vez desenvolvimento económico. Este talvez seja o caminho para que todos juntos possamos sair da tão falada e discutida crise. Agora isto leva-nos a outro ponto focado neste post. O investimento/gasto em artistas, grupos e ou bandas, bem como tudo o que é inerente à programação cultural destas Festas. Para o autor do post talvez seja muito complicado conceber a ideia de que a relação gasto/receita seja favorável, e quando digo favorável não me refiro única e exclusivamente a valores monetários, mas também ao tal dinamismo da economia do pequeno comerciante local. Não faço a mais pequena ideia dos valores envolvidos, no entanto a matemática e a lógica permitem-me perceber de forma muito rude, que os expositores, os bares, os espaços de comida bem como toda a publicidade que podemos ver na revista das festas, só por si já paga o investimento que é tão criticado neste post.
Resumindo, para além de se pagar sozinha, estas Festas, proporcionam desenvolvimento económico local.
Este post prova o que é o “tuga”. Critica por criticar. É o sim porque sim e o não porque não, mas o que interessa é ter opinião.

Anónimo disse...

E já agora porque não seres honesto Emanuel e falares nas receitas da festa de Corroios? Quanto é que pagam os divertimentos que estão nas festas, os feirantes e concluir-se se as Festas dão lucro ou prejuizo?

Emanuel Oliveira Santos disse...

Caro anónimo, desde já agradeço a sua participação nesta discussão. Tenho pena de não o poder tratar pelo seu primeiro nome, tal como pode continuar a fazer no meu caso, e apesar de saber claramente quem é o senhor, não o irei revelar em virtude de ter optado pelo anonimato.
Gostei que tivesse pensado no assunto. É isso que se pretende neste concelho de munícipes muito pouco interessados na política local. Vi que a sua preocupação foi tanta que apenas "com uma breve passagem" pela feira ficou a saber o número exacto de stands, de movimentos, etc. Excelente contagem. Excelente observador, numa única passagem!
Ok. Vamos acreditar que foi assim que conseguiu os dados. Espero que tenha tido tempo para ver o "senhor Carreira" a cantar.
Quanto a receitas, e recomendo uma leitura até ao fim do post, pois é feita no final uma referência a tal, não tenho acesso a essa informação. Nem orçamento nem Relatório e Contas da JF encontrei publicados na internet (se o senhor quiser fornecer o endereço na net agradecia, se houver), como tal não posso afirmar que as despesas sejam maiores do que as receitas, ou vice-versa, mas pela minha experiência de contas de outras freguesias deste concelho, não há qualquer festa popular que dê lucro, bem pelo contrário.
Mas quando as despesas são com 3/4 pessoas/artistas (artistas com cachets altíssimos com rendimentos muito elevados) então se calhar posso, e ainda mais numa altura como esta, achar que não é a melhor opção para uma autarquia local. Mas meu caro anónimo, das duas uma, ou todas as outras freguesias do concelho do Seixal estão mal, quando reduziram drasticamente as despesas em festas, ou, quem está bem é Corroios.
Não discuto a honestidade, mas simplesmente factos e discussão de opiniões.
Obrigado.

Anónimo disse...

8500 euros por uma reportagem audio-visual?? "Pão e Circo"! Aqui no Seixal nem pão, apenas circo!

Paulo Santos disse...

No concelho do Seixal vale tudo. A Câmara e a Junta de Freguesia de Corroios até mudaram a data da festa da freguesia de Corroios de Setembro para Agosto para a última festa ser a do Avante. É uma vergonha onde é que já se viu os interesses dum partido político sobreporem-se às tradições duma freguesia. Desde que a festa de Corroios se faz que é sempre por volta do meio de Setembro nem coincidia com a festa do Avante mas o Partido comunista sem respeito por ninguém quis que a festa do Avante fosse o encerramento das festas do concelho como se tudo e até as festas do concelho fossem propriedade do PCP, que é assim que os comunistas sentem o concelho do Seixal como se fosse apenas e só deles, mudou a data e passou a fazer a festa em Agosto.
(comentário, de ser tão importante, que eu roubei de outro blogue).

Anónimo disse...

Caros Senhores, efectivamente estou bem informado quando aponto o número certo de stand's, essa informação deve-se ao facto de possuir 2 olhos na cara, e um cérebro que me permite raciocinar. Dentro desse raciocínio, encontra-se o cálculo matemático. Para além desta faculdade que me assiste, também tenho outra que me permite perceber que os Senhores estão a "politizar" algo que não deveria ser "politizável". Trata-se de uma festa do povo para o povo com benefícios para todos. Será que não conseguem fazer política somente quando devem?? Ou será que quando devem não a fazem??
Cumprimentos

Emanuel Oliveira Santos disse...

"Após breve passagem pela Feira, apurei:
Espaços de Movimentos Associativos – 26
Espaços de actividades económicas – 66
Stand’s Automóveis – 6 (10 marcas)
Espaços de Comida – 45"

Só tenho a saudar a sua excelente (e rápida) perspicácia... longe de mim pensar o contrário, ou de pensar que devido ao seu trabalho teve acesso a informação privilegiada... nada disso...
Passe bem senhor pouco anónimo!

Emanuel Oliveira Santos disse...

Por lapso apaguei um comentário de um senhor feirante de Corroios. Agradecia que pudesse repetir o mesmo, de modo a conseguir publicá-lo, pois acho que tem bastante interesse para a temática.

No entanto posso afirmar que estou muito mais descansado depois de ouvir na TVI (joirnal das 20.00h) o presidente da JF de Corroios afiançar que as despesas seriam totalmente cobertas pelas receitas, ou seja, passou um atestado de incompetência às outras Juntas de freguesia do nosso concelho que se abstiveram de gastar balúrdios a engordar as contas bancárias de alguns artistas, que de ricos já não passam. Mas como tudo passou numa peça da TVI, que tb afiança que o cachet dos Xutos e Pontapés foi de 32000 e não os reais 39000 (uma pequena diferença de 7000 euros)conforme se pode verificar nas publicações oficiais e obrigatórias em que se encontra o link no nosso post. Mais, chega-se ao cúmulo de nessa mesma peça, de péssimo jornalismo, referir que a JF não gastava nada em som ou luzes... por favor é só verificarem os links e verem com os vossos próprios olhos.

Por último, nunca se pode deixar de questionar a opção de gastar 8500 euros para reportagem de audio visuais ou mesmos 13 500 para a revista da feira...

Por favor senhor feirante, não se esqueça de comentar novamente e aceite o meu pedido de desculpa.
Boa Noite.

José disse...

Não consigo entender o stress com as despesas.Se as Festas de Corroios se pagam por si qual o problema?Esta gente não entende o movimento de receitas que se fazem,estou farto de gente ignorante.A Junta de Freguesia de Corroios não tem despesas,movimenta o mercado é mau?

David Levy disse...

Indecoroso isso. Vou linkar.

Emanuel Oliveira Santos disse...

Caro José, obrigado pela sua participaçao.
Tem alguma razão naquilo que diz... mas, eu tenho de ver para crer, ou seja, só depois das contas feitas ficaremos a saber se existem tanta receita assim que possam cobrir todas as despesas. Não estou convencido que assim seja. Vou esperar para ver. Mais, existem algumas despesas que são algo dificeis de entender. No post estão identificadas como a cereja no cimo do bolo...
Mas, mesmo que assim seja, que as despesas sejam totalmente cobertas com as receitas, (e atenção que existem muitas despesas "dificeis" de contabilizar, como a luz, a limpeza, as horas extraordinárias, etc), quem sai realmente benefeciado com tudo isto? Qual foi a grande mais valia para o concelho ou freguesia? Foi o comércio local? Duvido. Foram os munícipes do Seixal? Duvido. Melhorou a qualidade de vida dos habitantes da freguesia? Duvido. Foram umas horas divertidas para uns bons milhares? Sim talvez tenham sido.
Realizar eventos como festas populares é uma actividade que depende das opções politicas de cada autarquia. Uns fazem festas.
Há quem concorde, há quem discorde.

Obrigado pela sua participação "tão inteligente", mas tente ser mais humilde, deixe os "ignorantes", uma vez ou outra, divagar algum bocadinho, é que nunca nos tinha ocorrido essa do "movimento de receitas"... não tinhamos mesmo pensado nisso.
Obrigado.

Emanuel Oliveira Santos disse...

David Levy, obrigado por "linkares"..:)

Chob disse...

A mim parece-me um bocado que, para quem está a pedir para deixar os "ignorantes", não está muito interessado em saber as respostas às perguntas às quais responde "Duvido".
É um evento cultural. Ponto.

Mais acrescento que se a reportagem videográfica estiver relaccionada com a mesma reportagem feita pela TVI, é, de facto um meio de divulgação que vale o preço em questão, pois nenhuma outra forma de divulgação.

Sendo corroios uma freguesia de 46.0000 habitantes, e não estando publicado o preço da impressão, será correcto tambem assumir que os 13.000€ constituem tambem a impressão, sendo que (e para isto uso a calculadora) foi pelo menos impressa uma revista por habitante, (que seria o normal, penso) cada revista ficaria ao custo de '.28cent por impressão + publicidade incluida, digamos que são pequenos exemplos como a cereja está em cima do bolo, dependendo da fome que tem.

Se é muito dinheiro? É
Se ajudou o comercio local? Sim, entre o movimento que foi feito tanto em corroios, como nas bancadas que se encontram no recinto.
Se ajudou os municepes? Creio que sim, quanto pagaria para manter uma tradição? Quantas associações não tiveram o direito ao seu stand, de forma gratuita, para divulgar o movimento activo que há no seixal, sendo que assim, tambem deram a conhecer aos municepes um pouco mais do seu concelho?

Tudo isto para dizer. Ignorante não é só aquele que fecha os olhos ao problema, é tambem aquele que os abre só para o que lhe está à frente.

Com os melhores cumprimentos.
Um municepe

Emanuel Oliveira Santos disse...

Caro Chob, acredita mesmo naquilo que escreve?
Acredita que a reportagem audiovisual é a reportagem da TVI?
Acredita que foram impressas 46000 revistas?
Acredita como estava sendo afirmado na própria feira por algumas pessoas que os Xutos não iam levar cachet?
Reparem bem que nem na reportagem da TVI foram divulgados os números correctos dos cachets dos artistas.

Uma tradição? Pelo que vejo por comentários aqui reproduzidos, a festa de Corroios era tradição ser em Setembro... mas mudou para dar lugar à festa do Avante! Isso é manter a tradição?

Caro munícipe, peço que abra bem os olhos, às opções políticas dos seus camaradas dos executivos do Seixal e Almada. Sabe fazem-no com o seu dinheiro, com o erário público.

Obrigado pela sua participação.

Chob disse...

Pense bem:
Nenhuma outra festa popular da mesma dimensão foi documenta em TV.
Não foram impressas 100 de certeza, como tal, poderá fazer como o utilizador acima e "dar uma olhada rapida" para saber o numero preciso. Poderá tambem certificar-se deste facto questionando um habitante local se recebeu a revista no correio ou não, tendo uma ideia que pelo menos 1 edição por habitação foi impressa, só na freguesia de corroios, a não ser que tivesse sido distribuida municipalmente, o que aumentaria o numero em grandes milhares.
Não compreendo como a terceira questão poderá ter qualquer peso, sendo que, se não estou em erro, foi um concerto não gratuito.

Sendo apenas um jovem, não me recordo de ter tido a festa de corroios em setembro. A não ser que fosse na altura em que não havia festa do avante no seixal, há 20 anos. No entanto, o facto de ser movida uma semana não justifica o facto de existir tal festa do avante, uma vez que tal manobra seria para minimizar as despesas ou aumentar as receitas\comparticipações.

Peço-lhe eu primeiro, que antes de dizer que as opções politicas são feitas com o nosso dinheiro, que se certifique se esse dinheiro está a ser desperdiçado, compensado ou a gerar lucro, tal certificação se pode obter depois de olhar para as receitas.

Emanuel Oliveira Santos disse...

Caro Chob, quem levantou o número de revistas foi o senhor... para mim fossem dez, ou fossem dez mil estavam mal. Quanto à reportagem, audio visual, ela não tem nada com a reportagem da TVI, que foi feita mais ou menos a "pedido".
Se o senhor acha que as autarquias locais devem ter como actividade principal a realização de deste tipo de actividades, quem sou eu para o contrariar.

Obrigado pela sua participação.

Indignado disse...

Caro Senhor, perdoe-me a ousadia de abrir este post, que só por si nunca deveria ter sido aberto, no entanto gostaria de lhe deixar uma questão que para mim, parece ser bastante pertinente.
Com 3 Milhões a serem gastos em iluminação natalícia no feudo do seu camarada político Alberto João Cardoso Gonçalves Jardim, o senhor não se sente minimamente indignado?? Eu sentiria! Principalmente depois de tanto criticar umas festas que se pagam por si próprias. O senhor não se sente nem um pouco indisposto? Eu sentiria!
O Caríssimo não se sente mal ao ser politicamente conivente com uma pessoa, que para além de todas as tramóias assumidas e não assumidas, ainda consegue cancelar um concurso público e transforma-lo numa adjudicação directa?
Não falamos de milhares de euros, mas sim de MILHÕES de euros!!!
Onde está a sua coerência?? Lembre-se que a coerência, assim como a honestidade são dois dos pilares que elevam o Homem.
Critica a organização dumas festas, que se pagam sozinhas, que fomentam o desenvolvimento económico social, que dão alguma alegria ao povo que infelizmente, devido ao poder central nada tem para sorrir.
Caro senhor, manifeste-se agora.
Tem duas saídas, ou assume o seu erro efectivo ao criticar a organização que tanto deu ao concelho onde reside, ou então terá de criticar o seu camarada político que infelizmente para todos os portugueses, não consegue ter nem um pouco da honestidade que o Homem que gere a Vila de Corroios tem.
Já agora aproveito para lhe dizer, que para além dos 3 MILHÕES, ainda deverão acrescer as despesas com a animação. O ano passado essa despesa ascendeu ao MILHÃO de euros.
Haja pachorra!
Como se diz na minha terra, "Meta a viola no saco se não tem unhas para a tocar"!
O João Alberto tem, mas não são dele, são do POVO!!
Cumprimentos
Um indignado.

Emanuel Oliveira Santos disse...

Caro indignado, obrigado pela sua preocupação e indignação. Mas, quando se pretende desculpar uma coisa mal feita com outra igualmente mal feita, então a sua coerência deixa muito a desejar.

Quanto a concursos que passam a ajustes diretos, pergunte como foi, há uns anos, o "concurso público" do arranjo ribeirinho entre Arrentela e a Ponte da Fraternidade!!
Inquira quem era o proprietário dos terrenos onde foram construídos os serviços centrais da CM do Seixal e as oficinas, pelas quais a CM do Seixal paga rendas astronómicas!
Inquira quanto custou a tapeçaria!!
Inquira, pois o senhor mora nesta terra de abril!! O senhor paga impostos municipal... inquira.

Mas deixe estar, continue a seguir este blog, porque está por dias uma "novidade bomba", uma que rivaliza em montante com a sua preocupação e protagonizada pela CM do Seixal.
Fique atento!

Daniel Luís disse...

Boa noite,

Um pouco mais informado e chegaria a conclusão, como o próprio Presidente da junta afirmou, a feira paga-se a ela própria.

E realmente não é uma feira onde só há divertimentos e um suposto esbanjamento de dinheiro para contratação de artistas, como alguém já mencionou, trás uma dinâmica incrível à freguesia e ao próprio concelho publicitando pequenas empresas, associações e etc que se for preciso o lucro anual depende dela.

Um pouco mais de pesquisa e um pouco mais de pensamento económico e chegará à conclusão que esta feira é das melhores coisas que acontecem anualmente aqui, para além de que o presidente foi o nico que teve coragem de diminuir o gasto supérfluo em fogo de artificio, mas aposto que você é daqueles que no fim afirma "Que fogo de artificio reles, sai eu de casa para isto"

Muito obrigado e boa noite :)

Emanuel Oliveira Santos disse...

Caro Daniel Luís, leia com atenção o post.

Eu sei que o que aqui no Seixal gostam é de "circo e pão"... depois criticam o Alberto João Jardim... que faz exatamente o mesmo! Então alguns são maus e outros são bons!? O mesmo argumento que o senhor presidente da Junta de freguesia usou, é aquele que é usado pelos apoiantes de A. J. Jardim!!! Então como é que ficamos!?

Senhor Daniel Luís, já que é tão informado, diga-me o link para o relatório e contas da freguesia de Corroios!? Onde está acessível na internet??
Pois...
Pede-se coerência...